Avião atrasado? Voo cancelado? >>Reivindicar compensação agora<< para o vôo
atrasado ou cancelado! Você pode ganhar até € 600!

A Rússia está ficando para trás no reconhecimento de certificados COVID-19 emitidos na União Europeia

0 114

A União Europeia acusa a Rússia de atrasar deliberadamente o reconhecimento dos certificados digitais COVID-19 emitidos na UE, e os europeus não podem viajar para aquele país, apesar de estarem totalmente vacinados.

De acordo com o Embaixador da UE na Rússia, Markus Ederer, todas as informações e solicitações das autoridades de saúde russas para reconhecer mutuamente os certificados do Coronavírus da UE foram enviadas ao Ministério da Saúde da Rússia.

No entanto, as autoridades russas não prepararam os documentos necessários para serem enviados à Comissão Europeia em Bruxelas. De acordo com Ederer, a Rússia está atrasando intencionalmente o tempo de inspeção pela Agência Europeia de Medicamentos.

"Lamento isso, porque o reconhecimento mútuo de equivalência, inclusive pela Rússia, certamente tornaria a vida mais fácil para pessoas que viajam em ambas as direções." Ederer disse ao site de notícias russo RBC em uma entrevista publicada na semana passada. Além disso, Ederer observou que esse atraso retarda o processo de facilitar viagens para a Rússia e que este é um processo técnico, não político.

Essas declarações chegam um dia depois de a Organização Mundial da Saúde (OMS) revelar que o problema para a aprovação da vacina Sputnik V foi resolvido. Além disso, o Fundo Russo de Investimento Direto (RDIF), que distribui o Sputnik V em todo o mundo, disse que a OMS enviaria uma delegação para visitar a Rússia como parte de seu procedimento de aprovação.

Os Estados-Membros da UE aderiram ao portal digital COVID-19 da UE no início de junho e, desde então, o documento unitário foi emitido para todos os cidadãos da UE que foram totalmente vacinados com vacinas aprovadas pela Agência Europeia de Medicamentos (EMA).), Da seguinte forma:

  • Pfizer / BioNTech (Comirnaty)
  • AstraZeneca EU (Vaxzevria)
  • Johnson & Johnson (Janssen)
  • Moderno (Spikevax)

O documento também é emitido para aqueles que se recuperaram do COVID-19, dando-lhes a chance de viajar para o exterior pelo menos 30 dias após a recuperação.

A Rússia atualmente tem as taxas de mortalidade mais altas da Europa, com pelo menos 213.500 pessoas morrendo de COVID-19. Ao mesmo tempo, a Rússia ocupa o segundo lugar no número de casos COVID-19, com 7,7 milhões registrados até agora.

Há dois meses, a UE convidou Moscou para conversas sobre o reconhecimento mútuo de certificados de vacinação, na tentativa de facilitar a circulação de pessoas que foram totalmente vacinadas contra o vírus.

A Rússia permite viagens a cidadãos de 73 países que foram imunizados com o Sputnik V, incluindo países como Albânia, Argentina, Armênia, Bahrein, Bielo-Rússia, Bangladesh, Brasil, Hungria, Índia, Irã, Líbano, Macedônia do Norte, San Marino, Eslováquia, Chipre, Egito, México, Grécia, Turquia e Emirados Árabes Unidos.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.