Cingapura não cobrirá mais os custos de hospitalização de pacientes com COVID-19 que recusaram a vacinação.

1 626

Cingapura não cobrirá mais os custos médicos de pacientes com Covid-19 que são elegíveis para serem vacinados contra o vírus, mas optaram por não fazê-lo, diz o representante do Ministério da Saúde.

"A partir de 8 de dezembro, começaremos a cobrar dos pacientes com Covid-19 que se recusaram a ser vacinados", Disse o ministro em comunicado. Aqueles que não são elegíveis para vacinas estarão isentos desta regra. Crianças menores de 12 anos também serão uma exceção à regra. Cingapura continuará a cobrir os custos de pacientes parcialmente vacinados até 31 de dezembro para dar-lhes tempo para fazer sua segunda dose, disse o ministério da saúde.

O anúncio veio enquanto o número de casos graves, que ocorreram principalmente entre pessoas não vacinadas, se estabilizou, mas continua alto, disse o ministério. Dos cerca de 280 leitos de terapia intensiva para pacientes de Covid, 134 não foram vacinados, disse Janil Puthucheary, um alto funcionário, em uma entrevista coletiva.

Cingapura vacinou mais de 80% da população, superando a maioria dos outros países. Mas o número de casos graves colocou tanta pressão no sistema de saúde de Cingapura que as autoridades dizem que vão expandir a capacidade total dos hospitais de 2500 para 4.000 leitos até o final de novembro.

A maioria dos pacientes com Covid, que são vulneráveis ​​a doenças graves e requerem cuidados intensivos, são pessoas com 60 anos ou mais, disse Puthucheary. Pelo menos 6% das pessoas com 60 anos ou mais em Cingapura ainda não receberam as vacinas, segundo o Ministério da Saúde.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.