Israel está fechando suas fronteiras para todos os estrangeiros em resposta à nova variante do coronavírus

0 341

Israel anunciou que vai proibir a entrada de todos os estrangeiros. Então, Israel é o primeiro país a fechar completamente suas fronteiras em resposta a uma nova variante de coronavírus potencialmente mais contagiosa. Ele também anunciou que usaria a tecnologia de rastreamento telefônico antiterrorismo para limitar a disseminação da variante Omicron.

O primeiro-ministro Naftali Bennett disse que a proibição duraria 14 dias. As autoridades esperam que durante este período haja mais informações sobre a eficácia das vacinas COVID-19 contra o Omicron, a variante detectada pela primeira vez na África do Sul.

A fronteira ficará bloqueada por 14 dias

Os israelenses que entrarem no país, incluindo os vacinados, serão colocados em quarentena, disse Bennett. A proibição entrará em vigor à meia-noite, entre domingo e segunda-feira. Na sexta-feira, uma proibição de viagem foi imposta a estrangeiros vindos da maioria dos países africanos.

A tecnologia de rastreamento por telefone da Shin Bet Counter-Terrorism Agency será usada para localizar as operadoras da nova variante, para limitar sua transmissão a outras pessoas, disse Bennett.

A variante, que também foi detectada na Bélgica, Botswana, Hong Kong, Itália, Alemanha e Reino Unido, causou preocupação em todo o mundo e uma onda de restrições a viagens, embora epidemiologistas digam que tais restrições podem ser tarde demais para impedir que Omicron circule globalmente .

Israel até agora confirmou um caso de Omicron, com sete casos suspeitos. O Ministério da Saúde não informou se a pessoa confirmada com a nova cepa foi vacinada. Três dos sete casos suspeitos foram completamente vacinados, disse o ministério no sábado.

Cerca de 57% da população de 9,4 milhões de Israel está completamente vacinada, de acordo com o Ministério da Saúde. Isso significa que eles receberam uma terceira injeção da vacina Pfizer / BioNtech ou menos de cinco meses se passaram desde que receberam a segunda dose. Israel registrou 1,3 milhão de casos confirmados de COVID-19 e mais de 8.000 mortes desde o início da pandemia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.