Grécia - o destino de maior sucesso em julho e agosto

0 130

Os voos internacionais para destinos europeus em julho e agosto atingiram menos de 40% dos níveis pré-pandêmicos. Os países com menos turistas foram França, Itália e Reino Unido.

Os países que pioraram foram os que mais recorreram ao turismo, como França e Itália, e os que impuseram as restrições de viagens mais complexas e drásticas, como o Reino Unido, que alcançou apenas 14.3% em relação ao nível registado no. mesmo período em 2019.

A Grécia foi o país vencedor nos meses de pico desta temporada de verão, atingindo 86% das chegadas em 2019, revelou o estudo conduzido pela ForwardKeys. Chipre ganhou 64.5%, a Turquia 62% e a Islândia 61.8%. As estatísticas mostraram uma melhora em relação ao nível do ano passado de 26.6%, quando - devido à pandemia de Covid-19 - foi necessário impor restrições de viagem.

As perspectivas são igualmente sombrias, já que o número de reservas diminuiu no final da temporada.

A Grécia e a Islândia foram um dos primeiros países a dizer que aceitariam visitantes que tivessem sido completamente vacinados e / ou que pudessem ter um teste de PCR negativo ou demonstrar recuperação após Covid-19.

Com exceção das companhias aéreas de baixo custo, os voos intra-europeus foram responsáveis ​​por 71.4% das chegadas, contra 57.1% em 2019. mais e focando sua atenção nas cidades e atrações turísticas, tem se destacado nos rankings dos melhores e mais fracos destinos locais.

O número de viajantes que escolheram Londres como destino de férias foi extremamente pequeno, com Londres a ocupar o fim da lista das cidades europeias mais movimentadas, com apenas 14.2% das chegadas em 2019. No topo da lista está Palma, que registou 71.5 % dos níveis de 2019 e Atenas, porta de entrada para as ilhas gregas, com 70.2%.

Os destinos de lazer eram os destinos mais populares.

As cidades seguintes, com melhores desempenhos, foram Istambul - 56.5%, Lisboa - 43.5%, Madrid - 42.4%, Paris - 31.2%, Barcelona - 31.1%, Amesterdão - 30.7% e Roma - 24.2%.

Os destinos de lazer com mais turistas foram Heraklion e Antalya, que ultrapassaram os níveis pré-pandémicos em 5.8% e 0.5%, respetivamente. Eles foram seguidos por Thessaloniki - 98.3%, Ibiza - 91.8%, Larnaca - 73.7% e Palma - 72.5%. Portugal caiu drasticamente em junho, quando a Grã-Bretanha colocou o país na lista amarela. A Espanha também teve menos turistas no final de julho, quando a Alemanha alertou contra tudo, exceto o essencial.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.