IATA: 2020 foi um desastre para a aviação global.

0 382

A International Air Transport Association (IATA) anunciou os resultados do tráfego global de passageiros para 2020, o que mostra que a demanda (RPK) caiu 65.9% em relação a 2019, de longe a queda mais acentuada no tráfego da história da aviação.

A demanda internacional de passageiros em 2020 foi 75.6% inferior aos níveis de 2019. A capacidade (ASK) diminuiu 68.1% e a taxa de ocupação diminuiu 19.2 pontos percentuais, atingindo 62.8%. O tráfego doméstico em 2020 diminuiu 48.8% em relação a 2019. A capacidade diminuiu 35.7% e a taxa de ocupação diminuiu 17 pontos percentuais, para 66.6%.

Tráfego aéreo em 2020 em todo o mundo.

Ásia-Pacífico

Tráfego durante todo o ano de companhias aéreas na área Ásia-Pacífico diminuiu 80.3% em 2020 em relação a 2019. Foi registrada queda de 94.7% em dezembro, em meio a medidas mais rígidas, ante queda de 95% em novembro. A capacidade diminuiu 74.1% em relação a 2019. A taxa de ocupação diminuiu 19.5 pontos percentuais, atingindo 61.4%.

Europa

As transportadoras europeias registaram uma redução do tráfego de 73.7% em 2020 face a 2019. A capacidade diminuiu 66.3% e o factor de carregamento diminuiu 18.8 pontos percentuais, para 66.8%.

Oriente Médio

A demanda anual de passageiros das companhias aéreas do Oriente Médio em 2020 foi 72.9% abaixo da demanda de 2019. A capacidade anual diminuiu 63.9%, e o fator de carga diminuiu 18.9 pontos percentuais, atingindo 57.3%.

América do Norte

O tráfego das companhias aéreas norte-americanas diminuiu 75.4% em relação a 2019. A capacidade diminuiu 65.5% e a taxa de ocupação diminuiu 23.9 pontos percentuais, para 60.1%.

América Latina

As companhias aéreas latino-americanas registraram uma redução no tráfego de 71.8% em todo o ano, em relação a 2019. A capacidade diminuiu 67.7% e o fator de carga diminuiu 10.4 pontos percentuais, para 72,4%.

África

O tráfego aéreo africano diminuiu 69.8% em 2020 em comparação com 2019. A capacidade diminuiu 61.5% e a taxa de ocupação diminuiu 15.4 pontos percentuais, atingindo 55.9%. As transportadoras da região se beneficiaram de restrições menos severas a viagens internacionais em comparação com o resto do mundo.

A previsão IATA para 2021, afirma que a demanda aumentará 50.4% em relação à demanda de 2020, o que levaria a indústria a 50.6% dos níveis de 2019. Embora as estimativas estejam inalteradas no momento, elas podem mudar se as restrições de viagens persistirem, como resposta a novas tensões do vírus. Caso tal cenário se concretize, a demanda poderá aumentar apenas 13% em relação a 2020, deixando o setor com apenas 38% em 2019.

* RPK = Receita por quilômetro de passageiros
* ASK = Assento Quilômetro Disponível

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.