Bucareste - Pequim com TAROM, possivelmente a partir de 29 de março de 2014

4 397

A Ministra dos Transportes, Ramona Mănescu, anunciou na abertura da reunião do Governo que a TAROM irá retomar os voos na rota Bucareste - Pequim. Ramona Mănescu também especificou que já houve discussões com a direção da empresa e que inicialmente "é possível reabrir a linha Pequim-Bucareste com dois voos por semana".

A notícia de hoje trouxe um sorriso ao meu rosto e me lembrei da farsa feita no dia 1º de abril - Pequim - Bucareste com a China Eastern Airlines, desde o verão da 2013. Aqui não era para ser do verão do 2013, mas é provável que seja do verão do 2014. E será operado pela China Eastern Airlines, mas pela TAROM. Farsa partiu de um desejo que todos temos: vôos diretos de longo curso com partida de Bucareste para a Ásia e os Estados Unidos. Escolhi Pequim porque achava que era um destino muito desejável, e meu instinto parece não ter me enganado.

Os voos poderão ser homenageados com 2 aeronaves Airbus A310, infelizmente bastante antigas. Estão muito bem conservados, mas com grande esforço financeiro, e o consumo de combustível é "enorme". O Airbus A310 é uma aeronave bimotora de correio médio e longo e tem duas cores. O A310 não era uma aeronave popular, sendo produzido apenas 255 unidades, entre 1983 e 1998. A autonomia de vôo pode ser de até 6,800 km (A310-200) e até 9600 km (A310-300).

Esperamos ansiosamente o dia em que um avião TAROM decolar para Pequim em um voo comercial.

4 Comentários
  1. Apenas-Me diz

    Seria terrível operá-los com o A310; retornaríamos nos anos 80-90. Um A330 (pensamento positivo) seria o ideal.

    1. Sorin Rusi diz

      Sim, eles não seriam rentáveis.

  2. Mestre RA diz

    Que bom que não é 1º de abril ... Sou um passageiro frequente na Ásia e mal posso esperar para voar BUH-Pekin ou BUH-BKK sem parar! Falo por experiência própria, é muito difícil operar essas rotas com o A310, além da idade muito longa, os aviões Tarom também não são lucrativos - alto consumo e manutenção cara! Também podemos falar sobre o entretenimento a bordo, que falta no A310, estou pensando em TV no fundo das poltronas etc., que conta para um vôo de 9 horas.
    Com 2 voos semanais, a rota não é muito rentável. Outro problema, não vejo o mercado romeno, é oferecer 400 passageiros (2 × 200) por semana. Tarom deve pensar em "reunir" passageiros de países vizinhos - Bulgária, Moldávia, talvez Hungria (a Sérvia estaria perdida se entrasse na Etihad). Os voos da China são voos de volume, o preço do bilhete é bastante baixo - cerca de 650E - peguei, em oferta e 485 E. Também existe a possibilidade de carga, mas mesmo aqui há companhias aéreas, mais baratas que a Tarom.
    Os romenos, que vão para a Ásia, geralmente voam com turco (60-70%) e o restante com a Lufthansa, austríaca ou catar.
    Não é melhor alugar um novo avião, mais econômico - há o suficiente no mercado, por que não, talvez até no LOT, como a Finnair?!?

    1. Sorin Rusi diz

      Concordo perfeitamente! Existem muitos problemas de logística!

      Talvez possamos ajudar os chineses com um avião 😀

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.