A FAA monitorará aeronaves Boeing 737 MAX via satélite.

0 419

A Federal Aviation Administration (FAA) monitorará cada voo da aeronave Boeing 737 MAX para verificar o desempenho da frota do MAX conforme a aeronave retorna ao serviço operacional.

O sistema "sinalizará desvios de certos parâmetros durante todas as fases do voo e alertará a Divisão de Segurança de Aviação da FAA", Disse o órgão federal. "Engenheiros e inspetores de segurança usarão notificação antecipada para analisar possíveis incidentes."

aviões Boeing 737 MAX foram detidos no solo em março de 2019, após a queda de um avião 737 MAX Lion Air perto de Jacarta, em 29 de outubro de 2018, e de um avião 737 MAX Ethiopian Airlines, em 10 de março de 2019, matando um total de 346 pessoas .

ADS-B é um sistema de rastreamento mais preciso do que o radar.

Em colaboração com a Aireon, a FAA usará um sistema denominado Automatic Dependent Surveillance-Broadcast, ou ADS-B, para rastrear aeronaves MAX em voo, transmitindo dados da aeronave para o Centro Técnico da FAA a cada meio segundo.

ADS-B é um sistema de rastreamento mais preciso do que o radar, que também pode transmitir mais dados. Ao contrário do radar, que não pode rastrear aeronaves no oceano, em áreas montanhosas inacessíveis ou na selva, o sistema de satélite da Aireon pode cobrir todo o globo.

Cada nova aeronave Airbus ou Boeing será equipada com ADS-B que transmitirá continuamente os dados de cada aeronave, posição GPS, trajetória, velocidade de solo, altitude e razão vertical de subida ou descida. Para cada aeronave MAX individual, o sistema informará quantas vezes ela decolou, a duração dos voos e quaisquer anomalias detectadas.

O principal objetivo da Aireon é substituir os atuais sistemas de controle de tráfego aéreo baseados em radar.

O principal objetivo da Aireon é substituir os atuais sistemas de controle de tráfego aéreo baseados em radar por sistemas ADS-B mais precisos. Os investidores da empresa incluem algumas das autoridades mundiais de navegação aérea, incluindo Canadá, Reino Unido, Irlanda e Itália.

O ADS-B pode ser usado para rastrear a localização exata de uma aeronave, mesmo que ela tenha caído. Quando o Boeing 777 da Malaysia Airlines - voo 370 com 239 pessoas a bordo - desapareceu em março de 2014, essa tecnologia de localização precisa não estava totalmente desenvolvida.

Em novembro, a FAA anunciou uma parceria estratégica com a Aireon que fornece acesso a dados de tráfego aéreo em tempo real para permitir que a agência avalie aplicativos, incluindo automação de controle de tráfego aéreo, análise de segurança do espaço aéreo e investigações de acidentes.

Lembramos que A FAA autorizou o retorno de aeronaves Boeing 737 MAX ao serviço operacional, em 18 de novembro de 2020. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.