A França reabrirá suas fronteiras em maio para turistas vacinados.

0 2.380

O presidente da França, Emanuel Macron, revelou que o país está nos estágios finais de finalização de seu plano de restrição de viagens para viajantes vacinados e aqueles com teste negativo para COVID-19. As medidas serão levantadas para cidadãos da União Europeia e países terceiros, bem como para viajantes dos Estados Unidos e do Reino Unido.

O Presidente informou que os ministros franceses estão a finalizar as discussões técnicas sobre uma viagem segura e sem restrições e a elaborar um certificado de teste e vacinação para facilitar as viagens entre os países da UE.

“Vamos retirar gradativamente as restrições a partir do início de maio, o que significa que nos organizaremos durante o verão com profissionais da França para cidadãos franceses, europeus, mas também para cidadãos americanos e britânicos. Então, estamos trabalhando para encontrar uma solução concreta, principalmente para o cidadão que está vacinado, uma autorização especial, eu diria ", Macron disse.

A França vai impor restrições estritas aos viajantes de países onde as variantes do vírus se espalharam.

Com a criação do chamado "passaporte vacinal", Macron destacou que o país terá condições de controlar o vírus e maximizar as taxas de vacinação, o que permitiria o levantamento gradual das medidas. Por outro lado, Macron explicou que o país vai impor restrições estritas aos viajantes de países onde as variantes do vírus se espalharam.

A França vai impor regras mais rígidas aos viajantes que chegam do Brasil, África do Sul, Chile e Argentina. No entanto, o ministro das Relações Exteriores da França, Jean-Yves Le Drian, disse que o número de países na lista pode aumentar a qualquer momento. De acordo com as novas restrições, todas as pessoas que entram na França provenientes de um dos quatro países são obrigadas a isolar-se por um período de 10 dias.

Até o momento, a França registrou 5.289.526 casos de COVID-19 e mais de 100.000 mortes.

Além do período de auto-isolamento obrigatório, os passageiros devem apresentar um teste PCR negativo realizado menos de 36 horas antes do embarque ou um teste de antígeno negativo com não mais de 24 horas. A França suspendeu anteriormente todos os voos de e para o Brasil para impedir a propagação de novas variantes do vírus. A suspensão das viagens entre os dois países expira em 24 de abril, mas novas restrições serão impostas até lá, disse um funcionário do governo.

"Argentina, Chile, África do Sul e Brasil são os mais perigosos em termos do número de variantes existentes e da evolução da pandemia nesses países", acrescentou Le Drian.

Além disso, o World Travel & Tourism Council (WTTC) revelou que a França perdeu 103 bilhões de euros em 2020 devido à pandemia COVID-19, com seu PIB caindo de 211 bilhões de euros em 2019 para 108 bilhões de euros em 2020.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.