IAG (Iberia, British Airways, Vueling, Aer Lingus) reportou perdas de 7,4 bilhões de euros para todo o ano de 2020.

0 408

O International Consolidated Airlines Group (abreviatura de IAG) apresentou em 26 de fevereiro de 2021 os resultados consolidados de todo o ano de 2020.

A pandemia COVID-19 atingiu duramente as companhias aéreas membros do IAG e aqui mencionamos Iberia, British Airways, Vueling, Aer Lingus e todas as suas subsidiárias.

Ao longo de 2020, a capacidade de transporte das empresas do IAG foi de 33.5% do total de 2019. O início de 2021 também não é muito bom, estando as operações a 20% do mesmo período de 2019.

Infelizmente, no final de 2020, a linha foi traçada e o IAG (Iberia, British Airways, Vueling, Aer Lingus) registou perdas de 7,4 mil milhões de euros para todo o ano de 2020, sendo que em 2019 um lucro operacional de 3.3 mil milhões de euros.

O resultado reflete o sério impacto que a pandemia COVID-19 teve nas companhias aéreas do IAG. Medidas excepcionais e eficazes têm sido tomadas para conservar o caixa, aumentar a liquidez e reduzir custos.

Do lado da carga, a situação era um pouco melhor. 969 voos de carga foram operados apenas no quarto trimestre, e mais de 4 voos de carga foram operados ao longo de 2020. O volume de negócios da IAG Cargo aumentou quase 4000 milhões de euros em comparação com 200, atingindo 2019 bilhões de euros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.