Itália, Espanha e Portugal mantêm restrições de viagem durante as férias da Páscoa

1 441

Apesar da melhoria da situação do COVID-19 e das altas taxas de vacinação, Itália, Espanha e Portugal decidiram manter as restrições de entrada durante as férias da Páscoa.

Regras de viagem na Itália

O ministro da Saúde italiano, Roberto Speranza, confirmou anteriormente que seu país manterá as atuais medidas de entrada até pelo menos 30 de abril. Isso significa que todos aqueles que pretendem visitar a Itália nos próximos dias terão que apresentar comprovante de COVID-19 na entrada.

Atualmente, a Itália aplica as mesmas regras de entrada para todos os viajantes, independentemente do país de origem. Todos devem apresentar um certificado válido de vacinação, recuperação ou teste para poder entrar na Itália sem restrições.

"Ao entrar na Itália, os viajantes são obrigados por lei a apresentar um dos certificados verdes COVID-19 ou outra certificação reconhecida como equivalente (conclusão da série de vacinação ou teste ou teste de recuperação)", é mostrado na declaração do Ministério da Saúde italiano.

Além disso, o Ministério ressalta que os passageiros que chegam também devem preencher o Formulário de Localização de Passageiros antes da partida.

Regras de viagem na Espanha

Da mesma forma, a Espanha estendeu suas atuais regras de entrada a todos os viajantes que chegam até 30 de abril. O Ministério da Saúde espanhol explica que regras diferentes se aplicam a viajantes de dentro e de fora da UE. Os viajantes da UE podem entrar sem restrições, desde que tenham um certificado válido de vacinação, recuperação ou teste.

Por outro lado, os viajantes de países terceiros só podem entrar em Espanha se tiverem sido vacinados ou recuperados do vírus.

Regras de viagem em Portugal

À semelhança dos dois países mencionados acima, Portugal continua a exigir que os viajantes apresentem o comprovativo de entrada. Todos os viajantes autorizados a entrar em Portugal devem apresentar um certificado de vacinação, recuperação ou teste.

Itália, Espanha e Portugal aplicam as mesmas regras de validade para certificados COVID. Um certificado de vacinação é considerado válido nesses três países se comprovar que o titular realizou a vacinação primária nos últimos nove meses ou recebeu uma dose adicional de vacina.

Por outro lado, os certificados de recuperação são reconhecidos na entrada nesses países apenas se o documento provar que o titular foi curado do vírus nos últimos 160 dias.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.