Medidas para controlar a propagação do vírus COVID-19 cepa Omicron e para proteger a saúde humana

0 2.781

Após a confirmação da presença da estirpe Omicron na Roménia, o Primeiro-Ministro Nicolae-Ionel Ciucă convocou, hoje, pelas 11.00hXNUMX, na sede do Governo, um encontro com os principais responsáveis ​​da gestão da pandemia: o Ministro da Saúde, Alexandru Rafila , o Ministro da Administração Interna, Lucian Bode, o Ministro da Defesa Nacional, Vasile Dîncu, o chefe do Departamento para Situações de Emergência, Raed Arafat, e o diretor do Centro Nacional de Vigilância e Controle de Doenças Transmissíveis, dentro do Instituto Nacional de Saúde Pública, Adriana Pistol.

O primeiro item da ordem do dia foi o estado de saúde dos cidadãos romenos com diagnóstico de Omicron, que foram vacinados e apresentavam uma boa evolução do estado de saúde.

Como os especialistas antecipam um possível aumento na incidência nas próximas semanas, a vacinação de pessoas continua a ser a forma mais eficaz e importante de proteção, especialmente para aqueles em categorias vulneráveis.

A este respeito, o Governo apela às autarquias locais, através dos serviços de assistência à comunidade, para se coordenarem com as estruturas médicas do território e para reavaliarem a situação dos não vacinados. Será dada prioridade a pessoas de categorias vulneráveis, que irão beneficiar de postos móveis de vacinação, disponibilizados pelo Ministério da Defesa Nacional e Ministério do Interior.

Foi discutido que, para limitar a propagação do Omicron, os romenos e outros cidadãos da UE provenientes de países terceiros apresentarão um teste RT PCR, obtido não mais de 48 horas antes da viagem. Aqueles que não forem vacinados ficarão em quarentena por dez dias.

Os provenientes de outros países da UE continuarão a apresentar o certificado verde atestando a vacinação, passando pela doença nos últimos 180 dias ou o resultado negativo de um teste de RT PCR, obtido até 72 horas antes da viagem.

As pessoas que não foram vacinadas e não adoeceram nos últimos seis meses, que viajaram de outros Estados-Membros da UE na zona vermelha, ficarão em quarentena durante dez dias. Pessoas que não tenham sido vacinadas e não tenham contraído a doença nos últimos seis meses e que não tenham o teste de RT PCR realizado 72 horas antes da viagem, ficarão em quarentena por 14 dias.

A lista de estados africanos, cujos cidadãos não podem entrar temporariamente na Roménia, será atualizada. Estas propostas deverão ser aprovadas por Decisão do CNSU.

Atendendo ao elevado número de romenos que se prevê regressar ao país durante as férias de inverno, para proteger a população e facilitar a sua livre circulação, no contexto do surgimento e expansão da nova estirpe Omicron, foi analisada a utilização, a partir de 20 de dezembro. A Romênia tem o formulário de localização de passageiros.

A nível governamental, será desenvolvida uma estratégia de comunicação para a utilização de todos os vetores de informação e uma nova forma de ligar o país e os romenos da diáspora a este respeito.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.