Milhares de romenos vão trabalhar na Alemanha, em meio a uma pandemia de coronavírus

1 932

Últimos dias anunciamos que Alemanha precisa de 40 trabalhadores sazonais na agricultura. A maioria será da Romênia. Mas também haverá poloneses e búlgaros, dependendo dos contratos celebrados.



Devido às proibições de viagem, os trabalhadores sazonais não podem mais circular livremente nos países europeus para ajudar na colheita. A Associação Alemã de Agricultores pediu aos governos uma solução através da qual os trabalhadores sazonais possam ser transportados.

Milhares de romenos vão trabalhar na Alemanha

Assim, a Eurowings (parte do Grupo Lufthansa) recebeu a missão de organizar dezenas de voos charter para transportar milhares de trabalhadores sazonais para vários destinos na Alemanha.

Para começar, voará de Iasi (IAS), Timişoara (TSR), Sibiu (SBZ), Cluj (CLJ) e Bucareste (OTP) para os destinos Berlim (SXF), Düsseldorf (DUS), Colônia (CGN), Frankfurt (FRA). ), Hamburgo (HAM), Karlsruhe (FKB), Lípsia (LEJ) e Nuremberga (NUE).

E a loucura começou. Hoje, 12 voos charter de Cluj, 2 vôos regulares de Bucareste e 1 vôo charter de Sibiu foram agendados. A imprensa "explodiu" quando viu mais de 1800 pessoas lotadas na entrada do aeroporto de Cluj.

Embora os voos tenham sido agendados entre as 13h00 e as 22h00, a organizadora transportou todos os trabalhadores para o aeroporto ao mesmo tempo. Daí a grande agitação na entrada. O distanciamento social não foi mais levado em consideração. Quem providenciou o transporte para o aeroporto teve que pensar um pouco mais no assunto.

De acordo com as informações disponíveis na imprensa alemã, todos os trabalhadores sazonais serão testados pelo COVID-19 em seu destino, receberão atendimento médico e serão colocados em quarentena, se necessário. No entanto, todos ficarão isolados por 14 dias, mas com direito ao trabalho. Pequenas equipes serão organizadas e trabalharão em turnos. A acomodação será fornecida nas áreas em que eles trabalharão.

Certamente essas pessoas ficaram na pobreza. Iohannis não o enviou, Orban não o enviou, mas a Romênia. Há pessoas que vão trabalhar frequentemente na Alemanha, Espanha, Itália. Podemos condená-los por querer ganhar uma quantia justa de dinheiro, especialmente nestes tempos de crise? Não, não são eles que invadiram o país agora por causa da pandemia.

E eu vi muita indignação. Não entendi direito o que estava sendo criticado. O fato de alguns terem trabalhado por um centavo extra? O fato de terem saído de casa? O fato de os organizadores não saberem impor as regras do espaçamento social? Como você reagiria se eu visse algumas filas com 1800 pessoas, a pelo menos 1.5 metro de distância e esperando você entrar no avião?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.