Ursula von der Leyen apoia a vacinação obrigatória nos Estados-Membros da UE

0 216

Os países da UE devem considerar a vacinação obrigatória para combater a Covid-19 e a variante Omicron, disse o chefe da Comissão Europeia. Ursula von der Leyen disse que as vacinas terão um papel importante no combate à nova variante "Muito contagioso", embora a sua eficácia contra o Omicron ainda não seja conhecida.

Vários países notificaram novos casos de Omicron e a UE aumentou as restrições a viagens desde que foram notificados os primeiros casos da nova cepa de COVID-19. Ao mesmo tempo, os países europeus enfrentam um número crescente de infecções com o novo coronavírus. Mesmo na Romênia, há 3 casos positivos de COVID-19, suspeitos de ser com a nova cepa Omicron.

Enquanto isso, a Organização Mundial da Saúde (OMS) observou que os sintomas na maioria dos casos com Omicron são "leves". Mas essa informação não relaxou a atmosfera em relação à Omicron.

Na quarta-feira, Ursula von der Leyen disse que é "compreensível" que os membros da UE discutam a vacinação obrigatória contra a Covid, visto que um terço da população da UE não é vacinada.

A Áustria anunciou a vacinação obrigatória contra a Covid-19 a partir de fevereiro de 2022, enquanto a Grécia pretende introduzir a vacinação obrigatória para pessoas com mais de 60 anos de idade. Quem não obedecer será multado.

O futuro chanceler da Alemanha, Olaf Scholz, disse apoiar a introdução da vacinação obrigatória. Em uma entrevista à televisão Bild, o Sr. Scholz disse que queria a vacinação obrigatória a partir de março de 2022 e também disse que era necessário um lançamento mais rápido da vacina de reforço.

Não é prematuro falar em vacinação obrigatória num contexto em que as vacinas atuais contra novas cepas ainda não se mostraram eficazes? Estamos vacinados, cumprimos as medidas adotadas até agora, mas temos dúvidas sobre a introdução da vacina obrigatória. O que você acha?

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.