fbpx O voo UIA PS752 foi derrubado devido a erro humano

O voo UIA PS752 foi derrubado devido a erro humano

0 1.677
Avião atrasado? Voo cancelado? >>Reivindicar compensação agora<< para voos atrasados ​​ou cancelados. Você pode ter direito a até € 600.

Em um relatório intermediário, A Organização da Aviação Civil da República Islâmica do Irã considera que um “erro humano” foi a principal causa que levou à a queda da Boeing 737 Ukraine International Airlinesvôo PS752. Especificamente, o erro humano foi a base para a instalação de um radar, que ativou o sistema de defesa de Teerã.

Os quatro elos de uma cadeia trágica
Em 8 de janeiro de 2020, um Boeing 737 Ukraine International Airlines caiu logo após a decolagem do Aeroporto Internacional de Teerã (IKA), no Irã, matando as 176 pessoas a bordo. A aeronave havia sido abatida por dois mísseis disparados pelo exército iraniano.

Erros humanos na raiz do acidente no Irã

O relatório preliminar, publicado em 11 de julho de 2020, identificou quatro elementos-chave que formaram a base do trágico acidente de avião.

Segundo os investigadores, a configuração incorreta de um sistema de mísseis foi a base de eventos infelizes. Por erro humano, um erro de 107 graus no sistema foi induzido. Assim, o mecanismo de defesa de Teerã foi acionado quando a aeronave no vôo PS752 decolou, interpretando mal a trajetória de vôo. O sistema de mísseis considerava uma ameaça para a cidade, não uma saída segura.

Poucas horas antes do acidente, o exército iraniano lançou mais de 12 mísseis nas bases americanas no Iraque em retaliação pela morte de Qasem Soleimani, comandante dos serviços especiais do Irã.

Dado que os sistemas de defesa antimísseis estavam em alerta em Teerã, o operador considerou a trajetória de vôo ameaçadora. A falta de radar poderia explicar o fato de que, nos dias seguintes ao acidente, o exército informou que a aeronave havia se desviado de seu curso e se aproximava da base de mísseis perto de Malard.

O operador da unidade de defesa decidiu disparar sem a aprovação da comissão do Centro

O operador tentou relatar a presença de uma aeronave seguindo uma trajetória agressiva ao Centro de Coordenação. Mas um defeito não especificado impedia o fornecimento de informações.

Mesmo se o radar estivesse desalinhado, o operador de defesa aérea conseguiu identificar o PS752 como um voo de passageiros e não como um avião de caça, mas não conseguiu, disse o relatório.

O último e fatal erro identificado pelos investigadores foi a decisão do operador de soltar um foguete, apesar de não ter contato com o Centro de Coordenação. Normalmente, se não houver contato com o Centro, o operador não está autorizado a disparar.

O relatório preliminar estabeleceu que o primeiro míssil disparado no avião foi o fatal. O segundo míssil disparado não atingiu seu alvo, informações confirmadas até pelo sistema de defesa de Teerã.

Depois de ser atingido, o Boeing 737 virou à direita e colidiu com uma área residencial, desintegrando-se em uma área considerável. Todos os ocupantes da aeronave, 176 em número, perderam a vida.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Este site usa o Akismet para reduzir o spam. Saiba como seus dados de comentário são processados.