COVID-19 Daily - July 10, 2021: o número de novos casos aumenta em toda a Europa; Malta bloqueia o acesso de não vacinados; A França quer que a vacina cobiçada seja obrigatória para os profissionais de saúde!

0 574

A Europa está se preparando para a nova onda do novo coronavírus. Embora os programas de vacinação estejam em pleno andamento, cada vez mais países europeus relatam um aumento no número de novos casos de COVID-19. Vários países europeus já anunciaram algumas medidas restritivas. Vamos ver o que há de novo hoje!



  • Malta proíbe o acesso a todos os não vacinados. A partir de 14 de julho, apenas viajantes com esquema de vacinação completo poderão entrar em Malta. Malta torna-se assim o primeiro país da UE a fazê-lo. A proibição estará em vigor devido ao aumento no número de novos casos com COVID-19. Crianças entre 5 e 12 anos estão isentas da proibição se o resultado negativo de um teste anticovídeo for apresentado antes da viagem.  
  • Vários países europeus começaram a relatar um aumento no número de novos casos, incluindo Holanda. Em resposta à nova onda de COVID-19, o governo holandês boates e discotecas fechadas e horário reduzido dos restaurantes. O número de infecções na Holanda aumentou sete vezes na última semana. As novas medidas vigorarão até 13 de agosto.
  • Diversas regiões da Espanha impuseram restrições devido ao aumento do número de novos casos de COVID-19. Valência, Canárias e Catalunha já anunciaram o encerramento de discotecas e a introdução da medida-teste em eventos com mais de 500 pessoas. Os casos começaram a aumentar em meados de junho, levando a Alemanha a classificar a Espanha como uma área de alto risco. A França aconselhou seus cidadãos a não viajarem para o país vizinho.

A Organização Mundial da Saúde ainda não decidiu se uma terceira dose da vacina é necessária para manter a proteção de longo prazo contra o vírus. A pesquisa ainda está sendo feita!

  • Ao regulador de saúde francês recomendou que a vacinação seja obrigatória para os profissionais de saúde e aqueles que entram em contato com pessoas vulneráveis. Ele também disse que o tempo entre as doses deve ser encurtado, e as pessoas com mais de 55 anos que receberam a primeira dose da vacina AstraZeneca devem receber uma vacina de mRNA como reforço.
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.