Cuba se prepara para reabrir o país aos turistas internacionais em 15 de novembro

0 236

Cuba se prepara para a reabertura gradativa do turismo, a partir de 15 de novembro, quando estima que acabe 90% dos 11.2 milhões de habitantes serão completamente vacinados com as três doses da vacina COVID-19 desenvolvidas por instituições científicas da ilha. O Ministério do Turismo (Mintur) fez este anúncio, explicando que as medidas e protocolos de higiene sanitária que foram estabelecidos para a chegada de passageiros serão relaxados.

Os protocolos se concentrarão no monitoramento de pacientes sintomáticos e na medição da temperatura. O teste de PCR não será exigido na chegada e o certificado de vacinação apresentado pelos passageiros será reconhecido, embora os testes de COVID sejam realizados de forma aleatória. A reabertura do setor turístico nacional começará de forma gradual, de acordo com os indicadores epidemiológicos de cada região do país.

As autoridades sanitárias cubanas estão avançando em um programa massivo de vacinação ao final do qual prevêem que toda a população elegível para a imunização será vacinada com pelo menos uma dose das vacinas Abdala, Soberana 02 e Soberana Plus - todas criadas em Cuba.

Em meados de novembro, quando se prevê a reabertura do turismo, as autoridades cubanas prevêem que imunizarão 92.6% dos 11.2 milhões de habitantes da ilha - incluindo a população de até 18 anos.

Tendo restringido viagens internacionais desde 24 de março de 2020, uma decisão de Outubro de 2020 anunciou a reabertura de aeroportos. No entanto, após esta decisão, o número de casos aumentou novamente - em grande parte devido ao não cumprimento dos protocolos de isolamento de passageiros, e eles tomaram outras medidas mais drásticas.

Neste momento, a ilha obriga os viajantes a apresentarem um teste PCR negativo, realizado no máximo 72 horas antes da chegada, ao qual se acrescenta outro teste realizado à chegada ao país. Além disso, todos aqueles que chegam ao território cubano, tanto estrangeiros como residentes cubanos, são obrigados a permanecer em quarentena por 7 dias. Por esse motivo, os voos dos Estados Unidos, México, Panamá, Bahamas, Haiti, República Dominicana e Colômbia foram reduzidos ao mínimo desde janeiro.

Cuba vive atualmente o pior surto da pandemia, com entre 6.000 e quase 10.000 infecções por dia na última semana, com uma média de 80 mortes por dia. Assim, Cuba é um dos países com maior incidência de coronavírus na América Latina.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.