Hong Kong suspendeu todos os voos da Índia, Paquistão e Filipinas por 14 dias.

0 396

De acordo com as últimas notícias, Hong Kong suspendeu todos os voos da Índia, Paquistão e Filipinas, a partir da meia-noite por 14 dias, até 3 de maio. Todos os voos de passageiros nestes três países serão proibidos de pousar em Hong Kong.



O governo emitiu nota informando que esses países serão simultaneamente classificados no Grupo A de risco epidemiológico extremamente alto, de acordo com as disposições sobre prevenção e controle de doenças (regulamentação do tráfego transfronteiriço e viagens de passageiros). Isso limitará o movimento de pessoas que residem nos três países e terão que deixar Hong Kong.

Falando mais detalhadamente, um funcionário do governo disse que há casos confirmados envolvendo a cepa mutante N501Y e que eles foram detectados pela primeira vez em Hong Kong. É por isso que o governo de Hong Kong agora impôs essas regras e suspendeu todos os voos da Índia, Paquistão e Filipinas.

Existem casos confirmados envolvendo a cepa mutante N501Y do vírus Covid-19.

“Dois voos de passageiros (CX906) operados pela Cathay Pacific, que chegaram de Manila a Hong Kong nos dias 14 e 17 de abril, transportaram passageiros com resultado positivo para a nova cepa. Enquanto isso, outro voo de passageiros (UK6397) operado pela Vistara, que chegou de Mumbai a Hong Kong no domingo, confirmou a presença da nova cepa para três passageiros, com base nos resultados de um check-in na chegada. " disse um funcionário do governo.

Hong Kong começou a vacinar residentes com doses da Sinovac, a partir de fevereiro. E em março, as autoridades de Hong Kong começaram a oferecer a alternativa à vacina desenvolvida pela BioNTech.

Com a introdução da vacina desenvolvida pela BioNTech, a taxa de vacinação aumentou de duas a três vezes, todos os dias, em relação à taxa de vacinação diária registrada pelo Sinovac, segundo dados do governo. Os residentes de Hong Kong podem escolher a vacina que desejam. A relutância em relação à vacina Sinovac é atribuída a várias mortes após a vacina, embora o governo tenha dito que não há ligação direta entre a vacina e as mortes. A ex-colônia britânica tem mais de 11.500 casos de coronavírus, muito menos do que outras cidades e metrópoles igualmente desenvolvidas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.