United Airlines está investindo em aeronaves movidas a eletricidade

0 177

A United Airlines está ansiosa por inovação. Depois de dar um pedido 15 aeronaves Overture Boom no início deste ano, a empresa investiu no projeto de uma aeronave elétrica, a Heart Aerospace. A empresa sueca está desenvolvendo o ES-19, uma aeronave movida a eletricidade. Assim, para viagens aéreas regionais, não haverá mais emissões de carbono. A produção deve ser concluída nos próximos cinco anos e a aeronave deve começar a voar até 2026.



A Heart Aerospace fez parceria com a United Airlines, Breakthrough Energy Ventures e Mesa Airlines para financiar e desenvolver o ES-19, um produto inovador que eliminará as emissões operacionais e reduzirá a pegada de carbono da indústria da aviação.

Tanto a United quanto a Mesa concordaram condicionalmente em encomendar 100 aeronaves, visto que cumprem os padrões de segurança, negócios e operacionais de cada empresa. O investimento vem do fundo de sustentabilidade dedicado da United, chamado United Airlines Ventures (UAV), que se concentra em tecnologias inovadoras que reduzem as emissões de carbono, melhorando a experiência do cliente e revolucionando a forma como a indústria opera.

A United Airlines investe em aeronaves movidas a eletricidade.

De acordo com a Heart Aerospace, o avião de 19 lugares será movido por quatro motores elétricos e baterias em vez de motores a jato e combustível convencional. Espera-se que ele voe até 250 milhas, com uma velocidade máxima de 215 nós e uma velocidade de cruzeiro de 180 nós. Embora essas velocidades baixas possam ser uma preocupação, a aeronave pode voar em rotas menos congestionadas, com pistas de até 750 metros, reduzindo o tempo de viagem.

Uma vez operacional, o ES-19 poderia servir mais de 100 rotas regionais da United de e para seus hubs. No mês passado, a transportadora anunciou que retiraria cerca de 200 aeronaves regionais que não cabem mais em seu projeto "United Next". A nova aeronave poderá voar em rotas de curta distância para o Centro-Oeste, onde opera a maioria das aeronaves regionais atuais da companhia aérea. As rotas potenciais incluem o Aeroporto Internacional O'Hare de Chicago para o Aeroporto da Universidade de Purdue e o Aeroporto Internacional de São Francisco para o Aeroporto Modesto City-County.

Em 2019, a aviação respondeu por cerca de 2.5% das emissões globais de gases de efeito estufa. Embora tenha caído em 2020 devido à pandemia, os especialistas temem que a retomada das viagens cause um retorno às emissões. A demanda por transporte aéreo superou a tecnologia sustentável e a solução para reduzir as emissões de carbono ainda é pouco desenvolvida. No entanto, a United e muitas companhias aéreas em todo o mundo entendem o impacto ambiental negativo do combustível da aeronave e dezenas de empresas estão empenhadas em eliminar as emissões de carbono até 2050.

BEV e UAV são os primeiros investidores a contribuir para a Heart Aerospace. Os acordos devem acelerar o desenvolvimento do ES-19 e colocá-lo em operação já em 2026.

O investimento da United no ES-19 faz parte do esforço da empresa para atingir sua meta de zero líquido em 2050. Ela planeja fazer isso sem compensar o carbono, que é o principal método da indústria para reduzir as emissões. No entanto, esses esquemas nem sempre têm o impacto desejado, daí a decisão do United de evitá-los.

Em vez disso, a empresa se concentra na inovação por meio da eficiência de aeronaves e biocombustíveis. Por exemplo, espera-se que o jato supersônico da Overture funcione 100% com combustível de aviação sustentável (VAS) desde o primeiro dia. A United se comprometeu a comprar 200 aviões de decolagem e pouso da Archer no início deste ano.

A companhia aérea também investe em empresas como a Heart Aerospace, que deseja criar produtos que sejam bons para os clientes, funcionários e o planeta. Embora o lançamento do ES-19 ainda esteja dentro de alguns anos, a United espera liderar a indústria em uma nova era de viagens aéreas sustentáveis.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.