O "Certificado EU COVID-19" será lançado oficialmente em junho

0 1.181

Na semana passada, o Parlamento Europeu (PE) aprovou o novo "Certificado COVID-19 da UE" - o mesmo certificado verde digital proposto pela Comissão Europeia, mas com um nome diferente - que será limitado a 12 meses, o passaporte que permitirá a recuperação de uma mobilidade internacional "segura" dentro da União Europeia.

O Parlamento Europeu afirmou que os titulares "Certificado EU COVID-19" eles não devem ser obrigados a cumprir com restrições de viagem adicionais, como quarentena, auto-isolamento ou teste. MEPs exigem que "Os países devem fornecer oportunidades de teste universais, acessíveis, oportunas e gratuitas para evitar a discriminação contra aqueles que não foram vacinados por razões econômicas."

Dúvidas éticas marcaram a ideia de um passaporte europeu de vacinação desde o início. Assim, para evitar qualquer discriminação, os deputados defendem que os testes sejam gratuitos, bem como as vacinas, para que os cidadãos da UE vacinados e não vacinados possam viajar com uma ou mais medidas de segurança. Todos poderão viajar dentro da União Europeia, mas quem não for vacinado estará sujeito a restrições, pois cada Estado-Membro terá o poder de impor as suas próprias restrições, incluindo os que são vacinados.

"Certificado EU COVID-19" facilitará uma viagem segura neste verão.

As negociações vão começar esta semana, pois nem todos os países da UE vêem da mesma forma e não há condições claras de como aplicar o certificado europeu. Além disso, nem todos pensam o mesmo sobre as restrições que devem ser aplicadas aos que são e não são vacinados.

A França foi o primeiro Estado-membro da UE a emitir um certificado, seguindo as recomendações da Comissão Europeia. O governo francês atualizou o aplicativo de rastreamento TousAntiCovid para incluir resultados de testes e certificados de vacinação, especialmente desde o certificado também pode ser obtido de pessoas que foram parcialmente vacinadas.

A Espanha implementará o certificado digital em junho e fará um teste piloto em maio. "Este sistema fornecerá certeza, um elemento chave para recuperar a confiança nas viagens", disse o secretário de Estado espanhol, Fernando Valdés, no Twitter. O projeto espanhol também deve levar em consideração as comunidades autônomas.

Por sua vez, o Reino Unido está considerando testar um certificado da Covid, mas se concentrando em grandes eventos internos, como jogos de futebol e shows. O governo disse no início de abril que o certificado começaria os testes em meados de abril e seria desenvolvido nos próximos meses.

Os EUA não apóiam a criação de um certificado de viagem aceito globalmente.

Assim como o certificado europeu, o certificado britânico incluirá resultados de exames, certificados de vacinação ou mesmo um certificado que comprove que a pessoa foi imunizada. O aplicativo não será usado em transportes públicos, lojas ou bares. No entanto, este projeto foi criticado por ser "discriminatório".

Em termos de viagens internacionais, o Reino Unido continua focado em sistema de semáforo com o qual classificará os destinos turísticos a partir do dia 17 de maio. A União Europeia também está se concentrando no desenvolvimento de seu próprio certificado para os países membros, que não inclui mais o Reino Unido e adiciona uma dificuldade adicional ao relacionamento britânico com seus destinos favoritos na UE.

Nos Estados Unidos, a Casa Branca já decidiu em abril que não haverá banco de dados de vacinação federal e nenhum mandato federal para exigir que todos obtenham um único cartão de vacinação. Assim, os EUA descartaram a criação de passaporte federal de vacinação ou o pedido de que americanos imunizados contra a Covid-19 obtenham credenciamento específico, ideia que tem gerado divisões no país.

No entanto, a porta-voz de Washington Jen Psaki deixou uma porta aberta para o setor privado desenvolver seus próprios modelos de passaportes de vacinação, como várias empresas no país já estão fazendo, mas insistiu que o governo não envolverá e não apoiará tal certificado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.