A Itália estendeu o período de aplicação da quarentena obrigatória para os romenos até 15 de outubro.

0 6.910

Hoje, o governo italiano aprovou o novo decreto legislativo sobre a pandemia COVID-19. Não traz boas notícias para os romenos. O período de aplicação da quarentena obrigatória para os romenos foi prorrogado até 15 de outubro, segundo www.fanpage.it şi www.correere.it via www.imperatortravel.ro.

Isolamento de 14 dias na Itália

  • Com efeitos a partir de 24 de julho de 2020, As pessoas que tenham estado ou transitado pelo território da Roménia e da Bulgária nos últimos 14 dias antes da chegada à Itália estão sujeitas à obrigação de isolamento e supervisão médica por um período de 14 dias. As autoridades italianas decidiram prorrogar a aplicação destas medidas até 15 de outubro.  
  • A partir de 9 de julho, qualquer pessoa que entrar na Itália vinda do exterior é obrigada a apresentar ao transportador ou às forças policiais em caso de controle, um declaração de sua própria responsabilidade.
  • No caso de pessoas que chegam da Roménia, terão de especificar em pormenor na declaração de sua própria responsabilidade o local onde passarão o período de vigilância sanitária e isolamento em casa, o meio de transporte privado através do qual irão para esse endereço e um número de telefone. através do qual podem ser contactados durante este período (incluindo um número de telemóvel). As transportadoras também devem medir a temperatura dos passageiros e evitar a viagem de quem está com febre.

A máscara passa a ser obrigatória ao ar livre

Portanto, o novo decreto confirma as medidas anti-COVID existentes, mas traz também outras regras. Já as máscaras devem ser usadas também ao ar livre, não apenas em locais públicos internos e nos meios de transporte.

Isso se aplica a todo o território nacional da Itália. No decreto, o governo estabelece “a obrigação de ter sempre consigo protecção respiratória, podendo utilizá-la em locais fechados e acessíveis ao público, incluindo meios de transporte e em todos os locais exteriores quando estiver perto de outras pessoas. Excluem-se da regra crianças menores de seis anos, portadores de patologias incompatíveis com o uso da máscara e praticantes de atividades esportivas.

Ao mesmo tempo, os controles serão intensificados e as multas mais rígidas. Aqueles que forem pegos sem máscara correm o risco de multas entre 400 e 1000 euros. Penas que se tornam ainda mais severas para quem violar a quarentena: variam de 500 a 5000 euros com prisão de 3 a 18 meses. Mesmo as unidades públicas que não cumpram as regras anti-COVID correm o risco de sanções severas: multa de 400 a 1000 euros, mais o encerramento das instalações de 5 a 30 dias.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.