Principais tendências em transformar viagens em 2020

Principais tendências em transformar viagens em 2020

0 246

O setor de turismo e viagens é radicalmente afetado pela Internet e pelas tecnologias móveis. Nos últimos anos, a tecnologia faz parte de nossa atividade diária, independentemente da situação. Nós nem acordamos bem e ficamos de olho no telefone. Ao viajar pela cidade ou por nossas viagens, o waze e o google maps são aplicativos indispensáveis. Não fazemos nada sem envolver a tecnologia.

E todos esses gadgets e aplicativos mudaram a maneira como planejamos nossa viagem e até a maneira como viajamos. Abaixo está um material desenvolvido por Amades e mostra algumas das principais tendências que transformarão as viagens em 2020.

Principais tendências em viagens em 2020

Você tem uma mensagem

Usando inteligência artificial e Machine Learning para se comunicar com os clientes

As companhias aéreas, hotéis e agências de viagens devem estar disponíveis 24/7 em qualquer canal que o cliente queira usar naquele momento. Aplicativos de mensagens do WhatsApp, Facebook e WeChat, entre outros, surgiram quase em lugar nenhum e agora têm bilhões de usuários em todo o mundo.

Como muitas novas tecnologias, os aplicativos de mensagens começaram como uma maneira de as pessoas interagirem. Mas agora esses aplicativos fornecem uma maneira de as empresas conversarem diretamente com os consumidores. O Facebook disse aos investidores no início deste ano que "agora temos 10 bilhões de mensagens enviadas entre pessoas e empresas todos os meses".

Cada vez mais, as interações entre consumidores e empresas são automatizadas, alimentadas por um chatbot. Os chatbots no setor de companhias aéreas começaram como páginas de perguntas frequentes automatizadas, uma ferramenta que poderia aumentar ainda mais a eficiência das equipes de atendimento ao cliente, preparando um chatbot para identificar e responder às perguntas mais óbvias.

O cenário dos chatbots está mudando e os chatbots podem "aprender" muito mais. Conectar a tecnologia chatbot a fontes de dados internas e estratificá-las em alguns sistemas de aprendizado de máquina permite que os robôs melhorem com o tempo, aprendendo mais sobre a melhor forma de responder às perguntas que recebem.

Como resultado, um chatbot que pode responder a perguntas frequentes das listas de perguntas frequentes agora é elementar. Muitas empresas de viagens agora usam caixas para venda de produtos de nível superior e vendas cruzadas.

Na Amadeus, ele trabalhou com Malaysia Airlines na MHChat - projetado para facilitar aos viajantes não apenas fazer perguntas, mas também reservar bilhetes e pagar diretamente pelo Facebook Messenger.

Nota: "Os barcos aprendem como ajudar os clientes a reservar e gerenciar viagens".

Se não estiver online, nunca aconteceu

A mídia social influencia a reserva de viagens

A fotografia de viagem existe quase tanto quanto a própria fotografia. Na mais recente venda de especialidades, a casa de leilões da Sotheby's incluiu uma gravura original feita em 1840 com a imagem de Notre-Dame em Paris. Esta impressão foi feita apenas um ano após a invenção da foto.

Hoje, as câmeras de smartphones permitem que qualquer pessoa tire e publique fotos durante uma viagem. Quadros, cliques, uploads, compartilhamentos.

Plataformas de compartilhamento de fotos específicas, como Instagram e Pinterest, hospedam bilhões de imagens. O "#Viagem" foi usado quase meio bilhão de vezes apenas no Instagram.

Como no caso dos chatbots, as empresas de viagens devem usar essas plataformas, porque é aí que seus clientes estão. O Instagram tem cerca de 500 milhões de usuários ativos diariamente, dos quais 80% seguem a atividade de pelo menos uma empresa.

As imagens sempre inspiraram viagens, e muitas empresas agora conectam seu mecanismo de reserva a uma imagem ou usam o endereçamento super sofisticado de ofertas disponibilizadas pelas plataformas para atingir públicos específicos que visualizam imagens específicas. Esses produtos de publicidade se tornarão mais sofisticados com o tempo, à medida que os proprietários da plataforma tentarem monetizar os usuários.

Lembre-se: "As plataformas fotográficas não são apenas inspiração, mas podem gerar conversão".

a ascensão

Sustentabilidade e viagens responsáveis

O turismo e a aviação enfrentam uma grande crise de consumo em 2020 - lutando com a percepção de que a indústria é um ator negativo no cenário de crise climática.

Ninguém na indústria desconhece nossas responsabilidades para com o planeta, mas os viajantes não apenas questionam nossa resposta à crise, mas também consideram o fator de sustentabilidade ao escolher como e com quem viajarão.

O Relatório de viagens sustentáveis ​​da Booking.com 2019 revelou que 55% de sua amostra global de entrevistados ficou mais preocupada nos últimos doze meses com o impacto de suas viagens no meio ambiente.

Em outubro deste ano, o banco suíço UBS descobriu que um em cada cinco viajantes ocidentais concordou em voar menos por causa de problemas ambientais, em particular, mas não exclusivamente, com base na idéia de "vergonha de voar". E, como na pesquisa da booking.com, o UBS observou que o interesse dos viajantes por essas questões aumentou nos últimos meses.

A indústria precisa prestar atenção nisso, porque os viajantes estão acompanhando sua reação. Atividades excessivas de turismo são um elemento central na conversa sobre sustentabilidade. A indústria desempenha um papel no apoio às tentativas de destinos populares de limitar o número de visitantes, além de garantir que os viajantes tenham alternativas disponíveis.

Observe: "Muitos clientes acreditam que viajar é prejudicial ao planeta. A indústria deve fornecer informações factuais sobre o impacto das viagens e encontrar maneiras de viajar sem poluição ".

Um milhão de maneiras de pagar

Inovação Fintech e métodos de pagamento alternativos

A viagem é um excelente processo de compra de bilhetes, e os consumidores esperam que o processo de pagamento seja perfeito, rápido e seguro. Com uma seleção de cartões de crédito e / ou débito em nossa carteira física e aplicativos como o PayPal que compõem nossa carteira digital, espera-se que os viajantes possam escolher como pagar por voos e hotéis.

As despesas no destino são uma questão diferente - entrada em museus, tarifas de táxi ou metrô - tendem a ser compras menores e espontâneas. Mais uma vez, as preferências do consumidor determinam como as empresas de viagens operam em seu destino, especialmente quando esses destinos atraem uma audiência internacional. Uma das razões por trás da expansão global do Uber é que o aplicativo serve como uma carteira digital de fato para transporte quando os usuários estão saindo de casa. O conforto prevalece.

A maioria das redes internacionais de hotéis percebeu que os hóspedes chineses que fazem compras vão querer usar o Alipay. No entanto, existem mais de 300 maneiras diferentes de pagar os viajantes. O setor de fintech - tecnologia financeira - ajuda os provedores oferecendo gateways de pagamento e acesso mais fácil às plataformas que os viajantes usam.

Os agentes de viagens - sejam agentes de varejo, comerciais ou on-line - têm um papel a desempenhar para ajudar os viajantes a entender como os pagamentos funcionam quando chegam ao destino.

Observe: "Se o hóspede não puder pagar pelo produto e serviço quando oferecido, não há sentido em oferecê-lo."

Vá sozinho

Aumenta a participação de viagens individuais

Ficar sozinho é uma situação tradicionalmente considerada temporária até o aparecimento da pessoa certa, embora essa percepção mude e não exista mais um problema tão grande em ser "apenas associado". A taxa de casamentos está diminuindo, e a população sozinha - aqueles que nunca se casaram e se divorciaram - está aumentando em volume e em porcentagem da população.

A Ásia causa muitas tendências de consumo em viagens, incluindo esta. A Agoda fez um relatório sobre viajantes individuais para 2018 e descobriu que a geração do milênio e a geração Z são as categorias entre as quais é mais provável que viajem sozinhas, enquanto no ocidente a viagem individual é mais difundida entre os boomers e a geração X.

O Reino Unido está experimentando um crescimento semelhante - a ABTA descobriu que em 2018, mais de uma em cada seis pessoas tirou férias por conta própria, um aumento de três vezes em apenas sete anos.

A tendência de viagens individuais deste ano está evoluindo de acordo com a turbulência em torno do bleisure (a combinação de viagens de negócios e viagens de lazer). Quase todas as viagens de negócios são viagens individuais; portanto, quando essas viagens são prolongadas e no lazer, elas se tornam viagens individuais.

Skift descobriu que quase metade (47%) de todas as viagens feitas por mulheres são viagens de negócios. Qualquer empresa de turismo que deseje aumentar a parcela de negócios na área de bleisure deve garantir que possa atrair viajantes individuais, bem como seus colegas do sexo masculino.

Observe: "As empresas de viagens devem fornecer serviços para pessoas que viajam sozinhas, em vez de discriminá-las".

Os carros não podem substituir o toque humano

A humanidade é crucial para a criação de experiências

A tecnologia não pode existir sem interações humanas - os algoritmos de inteligência artificial (IA) mais sofisticados são tão bons quanto os cientistas que os programam. O aprendizado de máquina pode nos levar à tecnologia autônoma, mas mesmo assim as pessoas precisam definir como e o que a máquina está aprendendo.

Para ter sucesso, um chatbot precisa saber quando a conversa precisa ser transferida para um agente real. À medida que os chatbots passam do serviço para a venda, os protocolos de transferência se tornam críticos para o sucesso dos negócios. Abandonar os carrinhos de compras on-line no turismo é uma preocupação atual; abandonar as caixas pode chegar em breve.

Hospitalidade tecnologicamente aprimorada é como os hotéis descrevem a interação entre hóspedes, funcionários e tecnologia na área de serviço. O papel da tecnologia tem que ser perfeito e os viajantes querem escolher. Nem todo mundo quer fazer check-in com seu smartphone, alguns convidados gostam de receber dicas do concierge.

Na Amadeus, queremos que a tecnologia melhore as viagens. O aeroporto é um ponto crucial, mesmo para os viajantes mais frequentes. Check-ins de autoatendimento, passaportes biométricos, reconhecimento de rosto, pré-autorização e gerenciamento de filas são exemplos específicos de como a tecnologia está começando a melhorar as coisas para as pessoas.

Observe: "A principal diretiva de tecnologia é melhorar as viagens".

Discussões amigáveis

Assistentes de voz para transformação de viagens em 2020

As taxas de precisão para reconhecimento de fala e processamento de linguagem natural são superiores a 95% por vários anos. Hoje, produtos como Google Home, Amazon Alexa e Apple HomeHub, bem como aqueles oferecidos especificamente para o mercado chinês, tornaram a conversa com um computador um modo de vida para dezenas de milhões de pessoas.

Quando essas pessoas viajam, elas esperam um ambiente semelhante. A Amazon desenvolveu o Alexa for Hospitality, destinado a grandes redes de hotéis e aluguéis de férias. Isso "simplifica tarefas para os hóspedes, como tocar música, pedir toalhas, controlar a temperatura ou a iluminação da sala, encontrar restaurantes e atrações locais, discagem telefônica e até operações de check-out.".

Sistemas abertos, APIs e parcerias são as grandes tendências tecnológicas que permitem que o reconhecimento de voz se torne operacional em hotéis, melhorando a experiência do cliente e, ao mesmo tempo, abrindo a oportunidade para vendas de produtos, vendas cruzadas e merchandising de nível superior. A Amadeus tem interesse aqui - trabalhamos com empresas como a Volara, que desenvolveu software proprietário que se integra às plataformas de processamento de linguagem natural para criar uma ferramenta especial para o setor de hospitalidade.

Observe: "À medida que as interações digitais baseadas em voz se tornam comuns nas residências, os viajantes esperam serviços semelhantes de seus fornecedores".

Super-aplicações

Grande potencial para aumentar as vendas de viagens

A ideia de um aplicativo de super-viagem existe há algum tempo. Acreditamos que essa idéia tomará forma nos próximos anos, por duas razões - o cenário de código aberto / API / parceria significa que é possível integrar todos os fluxos em uma superaplicação e os clientes se acostumarem com a ideia.

Quando a booking.com perguntou a 12.500 viajantes de quase 30 países, 57% disseram que queriam "uma única aplicação para todas as suas necessidades de planejamento, reserva e viagem".

Até certo ponto, o superaplicativo já existe na região da Ásia-Pacífico, onde empresas de comércio eletrônico e mensagens como WeChat, Alipay e Meituan na China, Line no Japão e PayTM na Índia criaram aplicativos multiuso dos quais os usuários podem comprar e você paga voos e hotéis da mesma maneira que pede comida no pacote, um táxi ou compra uma camisa.

Nota: "Os viajantes gostam da ideia de uma superaplicação, então a indústria deve começar a pensar na melhor forma de oferecê-la".

Amigos do tempo bom

Por que as regras antigas não se aplicam à lealdade dos viajantes

Os viajantes vivem em um mundo em que usam vários dispositivos e vários canais, onde o acesso ao conteúdo de viagens é amplo e fragmentado, onde a consolidação é baixa e o valor é mais importante que o preço. Nesse contexto, a lealdade a uma marca ou destino específico, quando há tantas alternativas a apenas um clique de distância - parece pertencer a outra era.

Mas a tecnologia pode ser usada para incentivar a lealdade dos viajantes de hoje. Mesmo iniciativas de base, como garantir que as plataformas de dados do cliente estejam prontas para o retorno dos visitantes, podem criar uma base de clientes fiel, simplesmente informando o que está em oferta.

Recompensar a lealdade é um elemento essencial para o setor de companhias aéreas - a mentalidade frequente do coletor de linhas aéreas ainda existe. As companhias aéreas usam cartões de crédito de marca compartilhada como uma maneira de manter os viajantes e seus gastos fora das viagens dentro de sua esfera de influência, enquanto as agências de viagens on-line usam variações de "reserve XNUMX noites e ganhe uma grátis" para seus programas. recompensa.

A tecnologia também pode ser usada para personalizar viagens de ponta a ponta para o consumidor. Oferecer aos viajantes o que eles desejam é uma maneira eficaz de incentivar a lealdade por meio de reservas repetidas. A personalização funciona apenas se os dados puderem ser capturados, analisados ​​e analisados ​​de maneira a permitir que o produto certo seja exibido simultaneamente para o cliente certo.

Lembre-se: "A lealdade é delicada, mas manter os clientes é melhor do que tentar conquistar novos".

Torne-se verdadeiro

VR irá melhorar drasticamente a experiência de viagem em 2020

A realidade virtual é outra tendência que provavelmente mudará da periferia para o centro das atenções no futuro próximo. Agentes de varejo offline usaram experimentalmente fones de realidade virtual (VR) em suas instalações, usando-os como um veículo promocional para resorts e destinos.

Mais perto de casa, a Navitaire trabalha em uma realidade virtual transacional, na qual os usuários podem explorar um destino no espaço virtual e reservar uma viagem sem precisar remover o capacete.

Embora esse seja um caso de uso de nicho de realidade virtual, outros mais maduros estão surgindo. A tecnologia VR de nível empresarial - o software para produzi-lo e o hardware que o exibirá - tem um preço em declínio, uma tendência semelhante à observada ao longo do tempo para a maioria das tecnologias de consumo. Isso significa que os fornecedores de turismo podem começar a pensar em ampliar os aplicativos de RV.

O VR tem o potencial de revolucionar o sistema de entretenimento de bordo - oferecendo aos passageiros outra opção quando estiverem a bordo. Companhias aéreas como Iberia, Singapore Airlines e SunExpress foram testadas com sucesso, permitindo que os passageiros usem fones de ouvido para assistir filmes em 3D ou jogar jogos a 10.000 pés de altitude.

Os provedores de VR também estão trabalhando em maneiras de incluir um componente de publicidade em aplicativos, permitindo que as companhias aéreas promovam seus próprios produtos ou abram este canal para terceiros.

Observe: "Os fones de ouvido VR chegarão em breve a uma cabine ou lounge perto de você".

A nova tecnologia deve nos assustar? A tecnologia mudará as experiências de viagem, mas também mudará os sentidos da viagem? Viajamos pela paz e riqueza de nossa alma ou pelos outros?

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Este site usa o Akismet para reduzir o spam. Saiba como seus dados de comentário são processados.